TRANSLATOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

SEGUIDORES

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

O CARNAVAL DO RIO DE JANEIRO É COISA DO BRASIL

.HISTORIA DOS DESFILES DAS ESCOLAS DE SAMBA DO RIO DE JANEIRO.




















MESTRE SALA E PORTA BANDEIRA
MADRINHAS DE BATERIAS DE ESCOLAS DE SAMBA

SAMBODROMO
Os desfiles eram realizados no domingo de carnaval, na Praça Onze. Em 1942, com as obras da avenida Presidente Vargas, o desfile mudou de local. Em 1945 foi realizado no Estádio São Januário. A partir de 1947 na avenida Presidente Vargas. A partir de 1952 são montadas arquibancadas para o público assistir aos desfiles. Em 1961 os desfiles passam a ser um evento com cobrança de ingresso do público. Em 1974, devido às obras do metrô, foi realizado na avenida Presidente Antônio Carlos. Em 1978 ocorre a mudança para a rua Marquês de Sapucaí. Em 1983, o então governador, Brizola encomendou a Oscar Niemeyer o projeto de um local definitivo para os desfiles, já que até então as arquibancadas eram montadas na época do carnaval e depois desmontadas.
O local escolhido foi a própria Marquês de Sapucaí, que passou a ser usada exclusivamente para o desfile, ficando fechada para o tráfego. Foi inaugurada em 2 de março de 1984 e passou a ser conhecido popularmente como 'Sambódromo', embora seu nome oficial fosse Passarela do Samba. No primeiro ano de desfile na nova passarela, havia uma modificação nos desfiles, que no final da passarela, em forma de praça, deveriam conter uma 'apoteose'. O local, de fato, ficou conhecido como praça da apoteose. Essa prática foi abandonada nos anos seguintes, e essa praça é usada hoje para eventos de música.
Em 18 de fevereiro de 1997 o nome foi mudado para Passarela Professor Darcy Ribeiro, em homenagem ao idealizador do projeto. O nome popular 'Sambódromo' prevaleceu, no entanto.
Porém o número de escolas aumentou e o número de participantes em cada escola também, o que tornou o desfile mais longo e cansativo para o público. Assim, em 1984 o desfile passou a ser realizado em dois dias: domingo e segunda-feira. Inicialmente foram proclamadas as campeãs de cada desfile e a supercampeã, num resultado geral do desfile das campeãs, realizado no sábado seguinte aos desfiles. Porém essa prática não teve sucesso.
O desfile do Grupo Especial, do Grupo de acesso A e do Grupo de acesso B, acontecem no Sambódromo. Já os desfiles dos Grupos de acesso C, D e E acontecem na Estrada Intendente Magalhães onde são montadas arquibancadas para o público.
As escolas do Grupo Especial fazem o desfile da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro em dois dias de desfile (domingo e segunda-feira). O desfile do Grupo de acesso A fazem o desfile de uma nova instituição carnavalesca, a Liga das Escolas de Samba do Grupo de Acesso acontecendo no sábado, e o Grupo de acesso B. além dos demais grupos são organizados pela Associação das Escolas de Samba da Cidade do Rio de Janeiro, sendo que antes eram chamados de Grupo Rio de Janeiro. Na sexta-feira acontece o desfile das escolas de samba mirins, organizada pela Aesm-RIO.
O resultado das escolas de samba do Grupo especial são realizados na quarta-feira de cinzas; declara-se a campeã e 1 escola que será rebaixada para o Grupo de acesso A. As seis melhores colocadas, voltam à Marquês de Sapucaí no sábado seguinte para o Desfile das Campeãs. Da mesma forma o Grupos de acesso A, que eram realizados após a apuração do especial, onde declara-se a campeã (a primeira sobe para o grupo imediatamente superior) e 1 que será rebaixada para o Grupo de acesso B, que subirá a primeira para o grupo imediatamente superior, assim vale pra os outros grupos C e D e o grupo E, onde as últimas colocadas ficavam de fora e que passam a ser blocos, que com asubida de duas escolas da elite dos blocos passam a serem escolas de samba. Para 2011, os grupos A, B, C, D e E passaram a subir apenas 1 escola, por intervenção da RIOTUR para a diminuição das mesmas.[1]
Cada escola tem um tempo de desfile que pode variar de 80 minutos paras as do grupo especial, que chega a ter 5000 componentes, a 30 minutos que é o caso das escolas menores dos grupos D e E, que não chega a reunir 300 componentes.
As escolas tem seus componentes divididos em grupos ou alas, e cada ala tem a mesma fantasia, dentro do enredo trazido, uma bateria que são os ritmistas que tocam os instrumentos de percussão, uma ala de baianas, figura tradicional do carnaval carioca, ala de crianças, uma comissão de frente, formado por 15 pessoas em média que vem na frente da escola, em geral com uma apresentação teatral ou coreográfica, as alegorias, que são os carros alegóricos, onde estão os destaques, figuras centrais do enredo, os passistas que são os componentes que desfilam "sambando no pé", já que as alas evoluem e não sambam, algumas apresentam coreografias ensaiadas, e atualmente os componentes dos carros também podem apresentar coreografias, os diretores de harmonia, que são elementos responsáveis pela organização do desfile, o casal de mestre sala e porta bandeira, responsáveis pela condução do pavilhão da escola, se apresentam ricamente trajados e bailando, sendo que todos os componentes cantam o samba enredo em uníssono, liderados pelo cantor oficial da escola, o "puxador".

Nenhum comentário:

Postar um comentário